Psicoterapia Breve

 

“Conheça-te a ti mesmo”

Psicoterapia é um processo de facilitação da mudança. Sempre que estamos em uma situação em que não conseguimos fazer o que queremos, ou que não conseguimos parar de fazer o que não queremos, estamos frente a uma condição em que o decidido pelas nossas necessidades emocionais e racionais está em desacordo. Nesse momento o processo psicoterapêutico é de extrema ajuda. Mudando a percepção de nossas capacidades, recolocando-nos no lugar de autores do próprio destino, a psicoterapia propicia a melhora da qualidade de vida. Este Blog tem como objetivo, oferecer maior contato entre o psicólogo e interessados em atendimentos psicoterápicos individuais, em grupos ou empresariais, propiciando princípios de reestruturação, auto-conhecimento e capacitação, por meio de técnicas científicas e amplamente utilizadas por profissionais de psicologia.

      O que é a Psicoterapia Breve?

É uma técnica utilizada em Psicoterapia que foi desenvolvida nas últimas décadas nos Estados Unidos e na Europa em resposta às demandas dos Planos de Saúde que pressionavam as seguradoras por atendimentos psicoterápicos menos longos que os até então utilizados pela psicoterapia tradicional existente. Por essa razão vários estudos foram desenvolvidos e se acabou criando uma nova técnica – a Psicoterapia Breve – que permite resultados tão eficazes ou até mais que os métodos anteriores.

 

QUAL A EFICÁCIA DA PSICOTERAPIA BREVE?

É uma técnica, como já dissemos, que apresenta resultados terapêuticos bastante eficazes num limite de tempo bem menor e com apenas um atendimento semanal, podendo-se observar melhoras significativas já nos primeiros meses de tratamento.

EM QUE CONSISTE O TRATAMENTO?

Em uma sessão semanal com duração de 45 minutos. De um modo geral todo o tratamento pode durar cerca de 20 sessões , dependendo do caso ( aproximadamente 5 meses). Entretanto, também há possibilidade de alta com menor número de atendimentos.

QUAL O PAPEL DO TERAPEUTA NA TERAPIA BREVE?

Diferentemente de outras abordagens, o terapeuta tem um papel bastante ativo durante as sessões, atuando de maneira direta e participativa em todo o processo terapêutico.

EM QUE CASOS HÁ INDICAÇÃO PARA PSICOTERAPIA BREVE?

As pessoas que melhor resultado podem obter com a Psicoterapia Breve são aquelas que apresentam um alto grau de motivação para a terapia, para entender a si próprios e para mudar.

Também são fatores que favorecem o sucesso dessa técnica: a presença de um problema específico; a capacidade de expressar sentimentos e interagir flexivelmente com o terapeuta; disposição em participar ativamente da avaliação do seu problema; capacidade de reconhecer que seus sintomas são de origem psicológica; curiosidade a respeito de si próprio; abertura a novas idéias expectativas realistas em relação aos resultados do tratamento e disposição de fazer um sacrifício razoável, seja de tempo, dinheiro ou disponibilidade interna para lidar com questões muitas vezes desagradáveis.

Em termos de enfermidades podemos dizer que essa técnica tem indicação específica para o tratamento de Transtorno Depressivo Leve. Distimia, Fobia Social ( medo de encontrar pessoas novas, de assinar cheques, comer ou falar em público,etc), Transtorno de Ansiedade Generalizada,Síndrome do Pânico, Disturbios de Ajustamento ( separação, mudanças importantes de trabalho, cidade. etc), Reação a Estresse Grave e alguns Transtornos de Personalidade.

Também tem indicação relativa ( prognóstico menos favorável, mas com possibilidade de grande melhoria) para os seguintes casos: Transtorno Depressivo Moderado,Fobias específicas, TOC, Transtornos Alimentares ( bulimia, anorexia, comer compulsivo) e outros Transtornos de Personalidade.

É contra indicada para o tratamento de Síndromes Orgânicas, Esquizofrenia, Transtorno Bipolar, Transtorno de Personalidade Anti-Social, Retardo Mental e Autismo.