Currículo

“A primeira impressão é a que fica”, concordando com tal velho ditado. “Um currículo bem elaborado é um diferencial que poderá não apenas estimular o entrevistador a convidar você para participar de um processo seletivo, mas também diferenciá-lo dos seus concorrentes, portanto, investir tempo e prepará-lo com capricho não é besteira e sim uma estratégia para recolocação”.

Confira a seguir algumas dicas preciosas:

1) Dados pessoais colocados no início facilitam a identificação do candidato. É desnecessário colocar número de documentos como CTPS, RG, CPF ou referências pessoais, exceto quando solicitado pela empresa.

2) Crie um e-mail profissional. Evite e-mails do tipo umagatinha@provedor.com.br, edugostosao@provedor.com.br. O e-mail é o seu endereço eletrônico e passa um micro recorte de credibilidade.

3) Indique somente uma área de interesse. Caso queira se candidatar a oportunidades de áreas diferentes, é recomendável ter mais de um currículo com objetivos distintos. Com esta medida, você transmite uma conduta de assertividade e foco em resultados ao invés de desespero e confusão.

4) Lembre-se de que o campo de “qualificações” é um resumo e não um livro. Destaque no máximo quatro ou cinco principais qualificações adquiridas em experiências de trabalho formais e informais. Suas inúmeras habilidades certamente serão avaliadas ao longo do processo seletivo.

5) Ordene de sua atual ou última graduação para a primeira, obedecendo a seqüência: Curso, Instituição de Ensino, Ano de conclusão ou ano de início e término. Coloque nível técnico ou ensino médio apenas quando for relacionado á formação atual ou área de interesse. O mesmo vale quando já tiver cursado mais de uma graduação.

6) Mencione o nome da empresa e o período em que atuou lá. Colocar informações sobre a empresa mostra que você se preocupou em contextualizar informações (Por exemplo, empresa XX fabricante de tintas onde atuei como analista de….) para quem analisa o currículo.

7) Descreva sua experiência de forma objetiva, sempre respondendo Contextos, Ações e Resultados.

8) Ao citar idiomas, detalhe seu nível de proficiência. Não coloque “básico” só para preencher espaço no seu currículo.

9) Experiências de intercâmbio também são muito valorizadas.

10) Inclua no campo de formação complementar os treinamentos e cursos que fez, desde que tenham afinidade com a futura área de atuação. Ninguém se candidata a uma vaga de auxiliar contábil demonstrando que fez curso complementar de cabeleireiro ou auxiliar de cozinha…

11) Aproveite o campo de atividades complementares para valorizar atividades exercidas por você no meio acadêmico e social, seja a participação em congressos, estágios, etc.